quarta-feira

Os reinos esmorecem

A história do mundo é construída por homens e mulheres. Os primeiros seres eram nômades, viviam vagando por várias regiões em busca de alimentos para a sobrevivência. Após alguns anos, esses andarilhos se desenvolveram e começaram a se reunir e pararam com a vida nômade, eles se estabeleceram em um lugar, e nesse território começaram a desenvolver suas técnicas para extrair alimentos da natureza. A partir daí, formaram-se as sociedades, os povos e logo depois os reinos. É engraçado analisar, que quando o homem começou a deter certo poder sobre os elementos essenciais a vida como a alimentação, começou-se também o processo de comercialização e esse processo foi o precursor das guerras entre esses povos que queriam roubar ou dominar todo o fruto do trabalho alheio.

As guerras constituíram reinos, uns fortes, outros fracos. Muitos dominados e poucos reinos dominadores. A história do mundo também é escrita pelas histórias desses reinos que se tornaram lendas por causa das suas singularidades. Nunca se levantou um reino com a arquitetura magnífica e ousada como a dos egípcios, que estabeleceram como um dos primeiros grandes reinos do mundo antigo. Não se tem relato também, de um reino com o mistério e a engenhosidade dos chineses, em seu território viviam milhões de pessoas sob a segurança da maior muralha já vista no mundo. Outro reino lendário é o reino grego, onde sabedoria e virtude andavam juntos, inseparadas. Foi a partir desse reino que o mundo conheceu toda a base do conhecimento que até hoje prevalecem como verdades absolutas. Obviamente não se pode ocultar o maior reino da história humana, o reino que perdurou por mais tempo, esse foi o reino romano. O reino de Roma, destaca-se pela sua força militar incomparável em todo mundo antigo, juntamente com o seu alto desenvolvimento social, jurídico e político. Foram mais de cinco séculos de glória e domínio sobre todo o mundo até então explorado.

Cada reino, antigo ou atual, possue a sua singularidade. Todavia algo os une, e os tornam semelhantes e interligados. Esse elemento é o esmorecimento, pois todos esses reinos, apesar de sua glória, poder, inteligência, misticismo, ou seja lá o que for, não subsistiram ao tempo e as circunstâncias, e desse modo foram extintos e finalizados.
Talvez, essa seja a marca comum do homem, tanto a ascensão como a decadência constituem o padrão normal das instituições humanas. Por essa razão Senhor, pedimos que venha a nós o teu reino e a tua vontade, pois seu reino é eterno e ultrapassa as barreiras temporais e circunstanciais. Ele é divino e não humano, mas é o único no qual o ser humano se torna verdadeiramente ser humano.

4 comentários:

  1. O PAVA está fazendo uma Newsletter só para blogueiros e dessa vez é sério.

    Para entrar na lista basta me enviar um e-mail com seu Nome, E-mail e Endereço de Blog e Data de Aniversário para:

    amigodopava@gmail.com

    Obrigado!

    ResponderExcluir
  2. A Paz irmão,
    Em relação ao teu comentaário no meu Blog fico feliz em poder contribuir, faça bom uso.
    Eu também fiquei muito bem imprencionado com tuas palavras.
    E que o Senhor continue nos abençoando.

    ResponderExcluir
  3. aee chalebe, bom texto, bom conteúdo, bom conhecimento! gostei cara!
    só ta um pouco grande pra pós modernidade
    auhauhauhuahuhauhuahha
    abracao!
    pedro brambilla

    ResponderExcluir
  4. aee chalebe, bom texto, bom conteúdo, bom conhecimento! gostei cara!
    só ta um pouco grande pra pós modernidade
    auhauhauhuahuhauhuahha
    abracao!
    pedro brambilla

    ResponderExcluir