quinta-feira

Despertando a vocação missionária

Ser cristão é ser um agente missionário, é estar em missão a todo tempo e o tempo todo. Todavia como priorizar esse tema na pauta da vida que, por sinal, anda cada vez mais corrida?

Uma porta de entrada para de fato assumirmos essa identidade é o envolvimento com uma instituição missionária. Digo envolvimento financeiro, dar uma recalculada no orçamento da casa e assim encontrar uma verba mensal para o apoio de instituições missionárias que já atuam em campos específicos.

Dessa forma, além de investirmos na expansão do reino, poderemos estreitar o contato com essa instituição recebendo informativos, revistas, notícias dos missionários, notícias dos campos, juntamente com os diversos pedidos de oração.

Outro caminho interessante é o apoio pessoal e direto a um missionário ou família missionária. Esse apoio deve ir além do investimento financeiro, deve ser um envolvimento emocional que cria em nós interesse pela vida do próximo. Trocas de e-mail, ligações e mensagens, são caminhos para saber sobre os desafios da vida e do campo, além do mais estreitam laços de amizades.

Abrir a porta da casa para receber missionários e assim ouvir a experiência de quem está no campo, deve ser uma programação constante em nossa agenda, pois assim vemos e ouvimos de perto histórias que nos encorajam e nos estimulam a fazer parte dessa vivência.

Por fim, dentre tantas outras sugestões que poderiam ser dadas, encerro com a experiência das viagens missionárias. Acredito que todos deveriam doar parte das férias para participar de uma viagem missionária, ou trabalho voluntário em alguma região ou campo distante de casa. Essa experiência de deixar a zona de conforto e estar em outro contexto, de alguma forma proporciona a possibilidade do crescimento e da dependência de Deus, além de revelar outros contextos e situações diferentes da que vivemos.

Participar de projetos assim amplia o nosso olhar sobre como podemos atuar no reino de Deus e nos estimula a sermos mais engajados no nosso dia a dia com aquilo que temos em nossas mãos.

Uma igreja viva é entre outras coisas uma igreja missionária e uma igreja missionária não é apenas aquela que investe grande soma de dinheiro em missões, antes, é uma igreja onde todos entendem que estão em missão.

Sobre o Ego

Quem se alimenta de ego
Com fome sempre está
É um alimento vazio
Gostoso ao paladar
Mas danoso pra alma
De quem dele se alimenta

O CHAMADO À SANTIDADE

A igreja é chamada para ser Santa, essa é sua vocação. A santidade da Igreja de Cristo transforma as realidades, transforma a morte em vida e coloca ordem no caos.
Como isso é possível?
Mateus, Marcos e Lucas, relatam a história de uma mulher que, há doze anos sofria de hemorragia. Ela vai ao encontro de Jesus Cristo e, ao tocá-lo, é curada. Ela sabia que não podia tocar em homem algum, pois pela lei, estava impura.
Qualquer judeu sabia da lógica da pureza e impureza dentro da comunidade judaica, ela era simples e estava no alicerce dos ensinamentos bíblicos. Um item puro e santificado, quando tocava outro objeto, não tinha o poder de purificá-lo. Todavia, se um objeto impuro tocasse algum outro objeto, ou pessoa, esse se tornaria impuro. A lógica é simples, o puro não purifica, mas o impuro impurifica. Logo, se algo impuro tocasse em alguma coisa pura, essa coisa, ou pessoa, se tornaria impura.
Pedro sabia bem disso e por essa razão, em Lucas capítulo 5, depois da pesca maravilhosa, percebemos ele dizendo para o mestre: “Afasta-te de mim, pois sou pecador”. Ele percebeu a pureza do mestre e sabia que sendo pecador, não havia espaço para os dois no mesmo barco.
Nesse relato da cura da mulher que há doze anos sofria de hemorragia, assim como outros relatos de cura de Jesus temos a quebra dessa lógica. Pois uma mulher impura toca em um homem puro, mas ela não o deixa impuro, antes, a santidade de Jesus purifica a mulher e a cura. Jesus quebra a lógica da Lei, é como se Ele dissesse: “Eu sou santo o suficiente para lhe purificar, não temas.”
Por essa razão é que Jesus permanece no barco com os pescadores no texto de Lucas referido acima. A pureza e santidade de Cristo estava para além da lógica da lei e impureza alguma podia maculá-la.
A igreja é chamada para exercer a santidade do Cristo, essa santidade que é capaz de tornar o impuro em puro. Onde a igreja passa, onde ela toca, o que é impuro não resiste a sua santidade.
Por essa razão a igreja deve ser santa e abraçar a sua vocação, pois é a santidade de Cristo na vida da igreja que faz com que os sinais do reino se manifestem e haja transformação de morte em vida. Quando a igreja encontra com um cenário de morte, não é a morte que predomina sobre a igreja, mas sim ela que predomina sobre a morte e dessa forma traz a vida, traz a ordem ao caos.
A santidade de Cristo na igreja quebra a lógica da lei, prevalece sobre o impuro, transformando-o em puro sem perder sua pureza.

domingo

Sobre a Dieta

Evito porque pode engordar
Na verdade evito por que desejo
Se não desejasse seria comum
E por ser comum não evitaria
Um desejo reprimido faz evitar
aquilo que os olhos querem ver
mas a boca não pode comer
Um objeto incomum me faz rejeitar
Um desejo que evito por não poder desfrutar