segunda-feira

DIVINO POETA


Entre os mistérios de Deus
O canto que me encanta
Levo guardado em minh’Alma
Divino milagre me espanta
Poeta que pena na pena
Do pó é Deus quem levanta
Me digam de onde vem
O canto do sábia?
O bicho nasce mirrado
Mudo e sem falá
Mas quando cresce froresce
E embeleza com seu cantá
E quem explica a cigarra
Pequena que dá té dó
Canta alto, canta forte
Num solo que segue só
O canto ecoa no vento
Seu corpo retorna ao pó
Entre os mistérios de Deus
O canto que me encanta
Levo guardado em minh’Alma
Divino milagre me espanta
Poeta que pena na pena
Do pó é Deus quem levanta
Sem falar no Louva Deus
Majestoso em verde manto
Esse é crente desde berço
Nasce até com nome Santo
Glorifica ao criador
Ofertando-lhe seu canto
O farfalhar de borboleta
Só sensível pode ouvir
O barulho logo abafa
E a beleza faz sumir
Com o sussurro de uma brisa
É som perfeito pra dormir
Entre os mistérios de Deus
O canto que me encanta
Levo guardado em minh’Alma
Divino milagre me espanta
Poeta que pena na pena
Do pó é Deus quem levanta
Aturdido fiquei com o som
Precisava de explicação
Fui falar com especialistas
Sobre o bendito refrão
Quem é o grande maestro
O dono da composição?
João Alexandre me disse
Em voz e violão
Ele é o divino poeta
O amor em perfeição
Do outro lado do mar
Nos veio trazer salvação
Um tal de Gerson Borges
Me disse que ele é o Pai
 Que sempre ama seus filhos
Não importa por onde vai
Restaura o fraco na fé
Que num vacilo logo caí
Glauber Plaça e o mestre Kuhlmann
Me falaram de um Deus trino
Um deles até tem
Sobre o tema um belo hino
Dos três um se fez homem
Nas badaladas do sino
Alma e Lua mais Gladir
Já firmarão posição
É a mesma que aderiu
A Banda do Seu Rubão
O Maestro dessa orquestra
É o Deus da criação
Me disseram Arlindo Lima
Diamanso e Grãos da terra
É Maestro dos valente
Com ele homi ninhum berra
Mas é todo homem de paz
De amor e não de guerra
Esse grande tapeceiro
Tem é muita inspiração
Como diz Stênio Marcius
Com tremenda devoção
Pela Graça de seu filho
Alcançamos redenção
Vencedores são por Cristo
Esses homens de batalha
Tantos outros nesse time
Minha memória já até falha
Suas canções e poesias
Em minh’Alma inda trabalha
Já me dou por satisfeito
E fico muito contente
Descobri que esse Deus
Que inspira essa gente
Não é um ser carrancudo
E sim homem sorridente
Vou ficando por aqui
Nessa prosa derradeira
Esqueço do mundo lá fora
Sentado em minha cadeira
Deleito divino som
Da nossa música brasileira

Um comentário:

  1. Sensacional, mano!! Muito bonito mesmo! Parabéns!

    ResponderExcluir